the optimistic

         (living in a glasshouse)

sábado, 2 de maio de 2009

Daquelas coisas que a gente não entende

Sou completamente apaixonado por esses versos de (I Can't Get No) Satisfaction:

But he can't be a man
'Cause he doesn't smoke the same cigarrettes as me

Acho que gosto pelo egoísmo pequeno, pelo egocentrismo deslavado que existe na frase. De fato, hoje, realmente estou meio caidinho pelo lado pouco bonito da vida.

Marcadores: ,

The Optimistic - 00:03:00 0 comments


-:-:-

sexta-feira, 1 de maio de 2009

caio f.

Eis que depois de tarde de amores, beijos em pé de orelha e juras explícitas ou implícitas vem uma vontade forte de voltar a ler Caio Fernando. Uma vontade de ler desamores, infortúnios, tristezas agudas e toda a beleza que envolve o lado meio escuro da vida.

Não é vontade de sofrer, não é vontade de dramatizar o que não existe, nada disso. Apenas que tudo que é doce tem um profundo amargo como contrapartida. Lá do outro lado da maré calma existe a tormenta perigosa - que pretendo manter longe.

É que existe tudo aquilo do que não podem me salvar, por mais que gostariam. Existe o lado triste da vida de ter de lidar com os desastres cotidianos, por mais ínfimos que sejam. São as contas que ñao fecham, a impaciência dos que não conseguem entender seus atos, a sensação de impotência diante do que você considera errado, as pequenas injustiças que vitima mesmo sem que se deem conta. O lado menos glamouroso da vida, que muito pouco mostramos por aí.

E Caio F. consegue explorar esse lado sandália de dedo da vida. Essas dorezinhas finas, sujinhas que não geram um vencendor de Cannes, do prêmio da academia, nem do Urso de Prata, mas que brilham em todos os momentos Sundance que nossa existência banalíssima (frente a grandiloquência e dramaticidade do Universo) pode ter.

Daquele tempo nem tão distante, daqueles dias que até hoje duram às vezes duas,
às vezes duzentas horas, restou esta sensação de que, como eles, também me vou
tombando rápido dentro da boca de um vulcão aberto sem fôlego nem tempo para
repetir como numa justificativa, ou oração, ou mantra, enquanto caio sem
salvação no fogo que é verdade, que si, que no, que nadie puede mismo vivir sin
amor.


E viva esse lado da vida.

Marcadores: , ,

The Optimistic - 23:28:00 0 comments


-:-:-

Eu.

Philipe

Campos - RJ

Ficção e não-ficção.


Leio:

Green Plastic
Omelete.
Cronicalidades.
Martini Seco.
Hel Looks.
Cafeína.
Cotidianidades.
Perto do Coração Selvagem.
Vida na Islândia.
Amor e Hemáceas.
Actions e Comics.

Recentemente:
|Algumas notas sobre música.|
|Go, Spidey!|
|A quem interessa o meu umbigo?|
|Tempo.|
|Se arrependimento matasse...|
|O Diário do Clima.|
|Não pense que te quero mal, apenas não te quero ma...|
|O criador e a criatura (não necessariamente nessa ...|
|Before Midnight (2013).|
|Narciso (?).|

Passado:
|| Dezembro 2005 | Janeiro 2006 | Fevereiro 2006 | Março 2006 | Abril 2006 | Maio 2006 | Junho 2006 | Agosto 2006 | Setembro 2006 | Outubro 2006 | Novembro 2006 | Dezembro 2006 | Janeiro 2007 | Fevereiro 2007 | Março 2007 | Abril 2007 | Maio 2007 | Junho 2007 | Julho 2007 | Agosto 2007 | Setembro 2007 | Outubro 2007 | Novembro 2007 | Dezembro 2007 | Janeiro 2008 | Fevereiro 2008 | Março 2008 | Abril 2008 | Junho 2008 | Julho 2008 | Agosto 2008 | Dezembro 2008 | Janeiro 2009 | Março 2009 | Maio 2009 | Agosto 2009 | Setembro 2009 | Outubro 2009 | Julho 2010 | Agosto 2011 | Novembro 2011 | Janeiro 2013 | Fevereiro 2013 | Março 2013